Alckmin é o entrevistado do CBN SP, no rádio e na internet

 

Alckmin do PSDB na CBNAs negociações com o Governo Federal, a revisão das contas do Governo Serra, as mudanças na educação e os planos para o transporte são alguns dos temas da entrevista, ao vivo, com o governador de São Paulo Geraldo Alckmin, nesta quinta-feira, no CBN SP. Das 9h45 às 10h45 da manhã, ele estará no estúdio de internet da CBN e responderá perguntas enviadas por ouvintes-internautas.

Um dos assuntos que mais motivam a participação do público é o da educação. Nesta semana, após entrevistar o secretário-adjunto João Cardoso Palma Filho vários e-mails chegaram relatando preocupação com a qualidade de ensino e as dificuldades que os professores enfrentam em sala de aula. O mesmo tem ocorrido desde ontem quando anuncie a entrevista com o Governador.

Desde que assumiu o Governo, Alckmin tem retomado ideias de sua administração anterior e chamou atenção ao anunciar que iria rever os contratos assinados por José Serra. Falou-se em auditoria, expressão negada pelo tucano. Com certeza, pretende reestudar os contratos com as concessionárias das rodovias com a intenção de reduzir o valor dos pedágios – conforme prometeu durante a campanha eleitoral.

Logo após a entrevista, Alckmin segue para o Palácio dos Bandeirantes onde se reunirá com o vice-presidente da República e presidente nacional do PMDB Michel Temer. Oportunidade em que poderá discutir parcerias do Estado com a União e tratar da presença do partido na administração paulista, a medida que o PMDB perdeu espaço na gestão dele.

8 comentários sobre “Alckmin é o entrevistado do CBN SP, no rádio e na internet

  1. Bom dia Milton,

    O PSDB tem perdido eleições para ele mesmo, a divisão entre grupos Serristas e Alckimistas está prejudicando os projetos do partido em beneficio deste ou aquele grupo. É evidente o racha, não há como negar e isto ficou claro nas eleição de 2006, quando o governador impôs sua candidatura a presidente e sem apoio do próprio partido foi derrotado. Agora com sua eleição fala-se em auditorias em todos os setores do governo. Até parece que seu antecessor era de outro partido.

    Minhas perguntas:

    Porque não fazer uma união entre os dois grupos e governar em benefício do estado e do cidadão, ao invés de picuinhas daqui e dali que só prejudica o cidadão e o próprio partido?

    Existe alguma promessa de campanha que realmente será cumprida, como na educação e preço de pedágios por exemplo?

    Como cidadão e tendo votado no governador, espero estar colaborando com a pauta de sua entrevista.

    Abraço!

  2. Parabéns ao Milton Jung em sua entrevista, pela primeira vez vejo um jornalista realmente questionando o governador como deve ser, principalmente sobre o tema educação. E pelo visto, o governador se esquiva muito das perguntas, e parece que não vai mudar muito a situação dos professores em São Paulo e consequentemente a educação.
    De nada adianta ele apresentar números do Ideb e Mec, São Paulo deveria ser a melhor educação do país mas BEM melhor, mas está tudo mais ou menos para pior.
    Meus colegas professores que trabalham em escola estadual, estão todos desmotivados, pois a escola deles é da periferia e tem poucas chances de terem o bônus pois a clientela, comuniade e as condições da escola não ajudam.

  3. Ai Milton
    Parabéns pela brilhante entrevista!
    Só que quanto aos salarios dos professores, policias, funcionarios publicos em geral (estaduais) referente as gratificações que não são incorporadas em seus salarios nada foi dito pelo Gov Alkmin
    Outra coisa, sobre o Campo de Marte que podera virar uma grande estação do trem bala
    Ai pergunto:
    Para onde irão as aeronaves de asas fixas, aviões, Aeroclube de São Paulo, aviação geral e executiva, uma vez que pretendem manter no campo de marte somente os helicópteros.
    O Aeroporto de Jundiai já esta saturado, sorocaba idem e é longe de SP, Bragança muito precisa ser melhorado.
    E o espaço aéreo de São paulo a Terminal São Paulo como vai ficar a TMA_SP?
    Imagine então se realmente o novo aeroporto for construido em caieiras!
    além da devastação que ira acontecer nas matas.
    E ainda insistem na construção do elefante branco que sera o metrô de superficie.
    Podemos considerar este novo meio de transporte publico como um novo minhocão, só que “mais moderno”

  4. Bom Dia MIlton e aos Colegas Blogueiros,

    Antes de mais nada Milton, parabens pela sua entrevista. Vc estava impecável. Os olegas Armando e Carlos ja te fez esse elogio e realmete eles tem razão.
    Infelizmente, não psso dizer o mesmo para o entrevistado. A não ser da minha decepição.Fiquei totalmente decepicionado quando vc perguntou ele sobre a educação que ele tanto falou na campanha. Ele simplismente, jogou-nos um balde de agua fria quando disse com todas as letras que no orçamento de 2011, não esta previsto aumento para nós professores. Segundo ele, vai depender da arecadação do estado. Já conhecemos esse filme. O mesmo falou o Mario Covas, Ele, Serra e ele de novo.
    Não adiante ele ficar com essa conversa, que vai dar cursos para nos atualizar, vai mandar o secretario da educação para conversar com os professores. No seu perido de governo, foi a mesma coisa. No fim do seu governo, a educação estava pior.
    Na verdade, esses cursos que mandom para fazer, é uma verdadeira canoa furada, são realizados por faculdades fundo de quintal, por pessoas que nenguem sabe e nunca viu. Quando os cursos são em faculdades/universidades boas, são em horrios que ninguém pode fazer e as vagas são reduzidas. Acaba, indo um ou dois professores por escola e o resto fica chpando dedo.
    O resto que ele fala, é tudo utopia.
    Ao Armando/vicente, fico grato pela lembrança dessa sofrida classe que hoje, alem de estarem totalmente desmotivada e desvalorizada, esta passando por serias necessidades basicas. Vcs acham que um salario de 1.450,00, da para um pessoa com 02 filhos e tem que tomar 5 condução por dia para chegar ao seus locais de trabalho viver? É o caso de muitos docentes inclusive eu.

    Abr e bom fim de semana.

    JRS.

  5. Ola Sinval
    Muitos dos meus clientes são professores.
    E quando comentamos sobre as péssimas condições de trabalho em geral, como são tratados os professores pelo governo, todos são unânimes em suas queixas, desapontamentos.
    Inclusive catedráticos da USP.
    E o atual governo, de acordo com o que escuto dos professores, for seguir a mesma cartilha do ex Governador Mario Covas, que na opinião dos professores foi um pessimo governador para esta laboriosa classe, a tendencia é piorar.
    Tomara que não e que uma luz possa iluminar o novo governo do estado.
    E as gratificações vao indo bem obrigado e não sendo incorporadas nos salarios.

  6. Prezado Milton Jung,

    confesso estar decepcionado com o início do governo Alckmin, em especial com a educação, enquanto a presidente da República, Dilma Rousseff, propõe a ” revolução pela educação” e com um discurso competente. O mesmo não posso falar ou escrever do governo do PSDB, em São Paulo: lamentável !

    Milton,

    ouvi atentamente a entrevista do governador eleito, Geraldo Alckmin, e fico me perguntando:como pretender, assim, uma educação de qualidade? Os cursos de formação de professores padecem de um abissal anacronismo. Colocar um computador na mão de quem não sabe manejá-lo significa muito pouco. Pensando bem: desde que essas máquinas terríveis entraram no cotidiano das escolas, qual foi o aperfeiçoamento dos conteúdos?.

    Outra insensatez é a incompetência para enfrentar o drama do magistério. Os professores são mal formados e pessimamente remunerados.

    Milton,

    daí as minhas perguntas:

    Nossas escolas públicas têm bibliotecas? Não. Têm laboratórios equipados? Não. A distorção idade-série está sob controle? Não. Reduzimos os fenômenos da evasão e da repetência? Não. Há iniciação científica nas escolas? Não. Os índices de leitura estão crescendo? Não. Os livros didáticos distribuídos gratuitamente são bem escolhidos e bem distribuídos? Não… E muito mais poderia ser lembrado.

    Milton,

    enviei ao governador Alckmin, projeto de Gestão e Qualidade Total da Educação no Estado de São Paulo, com sofware pronto e, NADA. Projeto que dispõe de informações em tempo real, as verdadeiras condições: escola, família e comunidade. Enfim, o meu projeto está sendo implantado de modo precário no Estado do Espírito Santo. No Brasil, nada se cria, tudo se copia.

    Abraços,

    Nelson Valente

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s