Conte Sua História de SP: reencontro

 

Por Sidarta S. Martins

 

 

Novamente…
Novamente me envolvo em seus braços
Sinto o calor de seus abraços.

 

A cada reencontro, as lembranças…
Cada lembrança me faz voltar
Voltar a um tempo feliz
Um tempo que passamos juntos
Nos abraçamos, nos envolvemos
Juntos, enlouquecemos…

 

E cada dia mais
Mais e mais
Eu te amei.
Loucamente, profundamente.
Eu te amei.

 

E você me amou.
Amou-me com ternura,
Dedicou-se a mim,
Deu o melhor de si
O melhor que você podia…

 

Você era uma criança
– Você continua uma criança,
Descobrindo, errando
Caindo, levantando, acreditando…

 

Mas me amou!
Amou-me como gente grande
Como nenhuma outra
Fez-me crescer
Mostrou-me a vida…

 

Eu te amo!
Continuo te amando como no passado
Loucamente, profundamente.

 

Abandonei-te, sinto muito!
Você disse que outros a haviam abandonado
E eu?
Eu jurava amor eterno
Mas fui um ingrato.
Sinto muito, te abandonei!
Conheci outras
Procurei novas aventuras
Envolvi-me, me entreguei
Aconcheguei-me em outros braços.

 

Você sabe disso
Eu sei disso
Mas te amo!
Amo-te sempre
Sempre e sempre…

 

A cada volta
Me apaixono novamente.
Sou volúvel?
Não sei!
Sei que te amo!

 

Tuas curvas, às vezes perigosas
Revelam segredos novos e velhos
Sou curioso, sou atrevido, insaciável
Os caminhos estreitos
Os cruzamentos perigosos
Seus sinais…

 

Verde: Vá em frente!
Amarelo: Atenção!
Vermelho: Perigo, muito perigo!

 

Suas colinas, seus vales
Suas avenidas que convidam
Convidam a ir em frente
Sempre em frente…

 

Destemido, quero conhecer mais
Perder-me em seus bosques
Deitar em seu colo
Beber de sua fonte
Embriagar-me novamente.

 

Dá-me tua mão, me conduz
Quero voltar ao passado
E só você tem a receita
Só você conhece meu prato predileto
Os segredos da cozinha alemã
A alegria italiana
A formalidade e a formosura da chinesa.
Minha caipirinha predileta
Meus bares, meus programas…

 

Com simplicidade você me fala de seus poetas
Dos escritores, dos professores
Dos locutores, de seus cantores…

 

Culta, você sabe ser simples
Inteligente, você sabe ser humilde
Rica, você sempre acolheu os pobres
Rápida, você aceita a lentidão
Bondosa e sincera, sempre acredita em promessas.

 

Perdoa-me, te abandonei!
Andei por aí afora
Vaguei pelo mundo
Troquei-te por outras.

 

Mas volto sempre!
Preciso de você
Preciso de seu pulsar
Preciso de seu calor
Nada sou sem te ouvir.

 

Dá-me tua mão
Leva-me por aí afora.

 

Você é meu norte
De norte a sul.
Você é meu leste,
De leste a oeste.
Você é santa!
A única em minha vida com nome de santo.
São Paulo…

 

Amo-te!
Amar-te-ei sempre!

 

O Conte Sua História de São Paulo vai ao ar, aos sábados, logo após às 10h30, no programa CBN SP. A sonorização é do Cláudio Antonio. Você pode participar enviando texto para milton@cbn.com.br

44 comentários sobre “Conte Sua História de SP: reencontro

  1. Cidarta,

    que linda declaração de amor para a tua cidade, que é minha também.

    Parabéns por saber amar, reconhecer os defeitos e os desfeitos da cidade amada, e mesmo assim não permitir que falem mal dela ou que lhe façam mal.

    Amor não tem fronteiras. É de todas as cores, e por que não o cinza que sabe, como nenhuma outra, se vestir de prata?

    Bom fim de semana,

  2. Lindo! Lindo! Lindo!í

    Inspiração e autenticidade, vigas mestras deste belíssimo Poema de exaltação ao Amor
    por nossa querida São Paulo.

    Parabéns!

  3. Muito lindo!! Romântico!!
    Palavras belas, de um amor eterno, grato e reconhecido, pela “nossa” terra!! Sim, porque São Paulo também é minha terra de onde trago recordações da minha infância.
    Parabéns, Sidarta da Silva Martins!!
    Perfeito!!

  4. Meu mestre e amigo Sidarta, belas palavras de explicita paixão por uma das mais belas e atraentes cidades do mundo, sou Jundiaiense de nascimento e Paulistano de coração.
    Parabéns Sid

  5. Mestre Sirdata, parabéns pela poesia, um homem que conheceu vários países e ter ser amor imenso pela cidade de São Paulo merece meu aplauso, novamente parabéns.

  6. Sidarta.
    Uma ótima homenagem a cidade mais complexa e reluzente de todos os tempos . A cidade não para , e o meu amor por ela também segue sem freios…

  7. Só posso dizer que senti uma emoção imensa em ouvir essa poesia… São Paulo é tudo isso é a cada dia que volto me apaixono mais , a cidade é mesmo muito envolvente . Parabéns belo poeta e obrigada por encher nossas vidas de palavras maravilhosas. Beijos

  8. Só alguém que sabe amar pode escrever este poema! Lindo, reflete o coração e a alma do poeta.
    Amigo Sid, Lembrando nosso tempo de faculdade , posso entender seu amor por São Paulo.

  9. A delicadeza nas palavras por amor a nossa cidade .. Lindo Lindo .. querido aluno Sidarta.. Amo São Paulo, conheci pouco mas reconheço suas belezas e defeitos….. Dentro de seu texto a emoção e o carinho desta cidade tão apaixonante….
    Belas Palavras. ..
    Bjss Juh Moreira

  10. Linda Poesia!!! De palavras singelas, que toca a alma. Parabéns Mestre Sidarta, por sua sabedoria, simplicidade, Romantismo……. E obrigado por nós presentear com obras tao lindas e inspiradoras, e por fazer do meu dia melhor. Bjos com carinho.

  11. Belas palavras Poeta Sid.
    Desperta a vontade de se arriscar e ter um porto seguro para repousar. São Paulo é maravilhosa e ficou ainda mais através de suas palavras, que por uma pontinha de intenção descreve a paixão que as mulheres paulistanas nos inspira.

  12. Eu sou paulistana, amo São Paulo com todas as minhas forças… muito lindo esse texto! Só quem ama São Paulo verdadeiramente consegue se aprofundar nas suas belezas… que são muitas, ao contrário do que dizem as maldosas línguas que insistem em chamar esta bela cidade de “Selva de Pedra” apenas….

  13. Sidarta, você traduziu muito bem o sentimento dos paulistanos que, como nós, um dia deixaram a cidade que amam. São Paulo é múltipla, atraente, fascinante. Mas só aqueles que sabem compreendê-la, são capazes de apaixonar-se por ela. Lindo texto, parabéns!

  14. Sidarta tudo bem? Sou filha da Zina.

    Nossa me identifiquei muito com seu texto e seu ponto de vista.
    Me fez pensar quanto odiei essa cidade pela sua multidão, pela sua confusão e pelo seu perigo… Também decidi abandona-la.
    Hoje, longe de tudo isso sinto tanta saudade. Sinto saudade da sua generosidade em ter sempre me oferecido oportunidades sem julgamentos… Sinto falta da sua energia e criatividade, tudo é possível em são Paulo… Sinto falta da sua abertura e tolerância com o estrangeiro.
    Onde moro hoje sinto uma relação de amor e ódio. Amo a qualidade de vida, segurança e a sensação de liberdade. Mas odeio a a inteligência, a mentalidade fechada e pouco amistosa…

    Parabéns pelo texto…. Lindas palavras… Um abraço

  15. Sampa minha linda e ímpar Sampa.
    Te amo a cada esquina.
    Te amo a cada padaria..escola ..parque..edifício..Te amo até mesmo o trânsito caótico que faz de vc uma pulsante metrópole.
    Te amo Sampa..Te amo.
    Nasci no Ibirapuera e sou lapiana até hjm

  16. Querido Sid! Professor, músico, auto didata e poeta, palavras certas para descrever nossa terra que com tantos problemas como qualquer outro lugar, desenvolve encantos e similaridades de um povo acolhedor, viva São Paulo e viva o Brasil!!! Grande abraço!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s