Problemas que não orgulham o Recanto dos Humildes

 

Recanto dos Humildes

Aqui começa o Recanto dos Humildes. O sofá despejado no meio da rua recepciona os visitantes na rua Recanto dos Humildes, número 10, no bairro de Perus, zona norte da capital. E atrapalha o trânsito de carros e ônibus, conta Devanir Amâncio, da ONG Educa SP, colaborador deste Blog.

Recanto dos Humildes

A porta da Igreja Deus Pai dos Humildes também é ocupada pelo entulho que se espalha pela calçada, material jogado por moradores. Dona Leonice de Almeida cobra providências da subprefeitura da região, sem sucesso até agora. Diz ter convidado o subprefeito Celso Capato para vistoriar o local, na rua Antule, número 1, mas ainda não teve o prazer de vê-lo por lá.

Mesmo assim, Dona Leonice acredita em uma solução: “Para isso  a Prefeitura conta com engenheiros , gente do verde, fiscais e subprefeito, diz indignada.

Foto-ouvinte: Por R$3,00 não tem direito a abrigo

 

Sem-ponto de ônibus

A cadeira de plástico e o guarda-sol não estão incluídos no preço da passagem de ônibus que está mais cara desde essa quarta-feira, na cidade de São Paulo. Os R$ 3,00 que o paulistano passou a pagar não dão direito a ponto de ônibus com cobertura e assento, apenas um pedaço de pau enterrado na calçada. A imagem foi flagrada na avenida das Cerejeiras, Jardim Japão, zona norte da capital, pelo ouvinte-internauta Daniel Lescano.

Horto, de volta ao futuro

 

Por Carlos Magno Gibrail

Horto Florestal

O Horto Florestal reserva ambiental para o Município paulistano, contíguo ao Parque Estadual da Cantareira, abrigando remanescentes da Mata Atlântica e da Mata de Planalto, compõe o Cinturão Verde da Cidade dentro do corredor de vegetação que a Serra da Cantareira está estrategicamente posicionada.

O Parque Estadual Alberto Lofgren, nome oficial do Horto, escolhido pela CBN SP para encerrar a série Parques da Cidade, teve certamente ontem uma exposição bastante produtiva.

A reportagem de Fabiana Novello e a participação de usuários do Horto e do Coordenador do Programa de Uso Público, Reinaldo Moreira, ressaltaram a satisfação que o Parque causa para visitantes e usuários ao mesmo tempo em que exige atenção a alguns aspectos de manutenção e cuidados especiais.

A despoluição da água dos lagos e a educação cívica com o trato do bem comum foram destaque.
Para o futuro, segundo Reinaldo Moreira já estamos providenciando um programa estadual de educação infantil. Em breve certamente teremos uma geração mais ambientalista.

Para o presente, já existe um pré estudo para despoluir totalmente os lagos. Idealizado pela estilista e empresária Cristiane Barbara Strauss e executado pela Manancial, empresa especializada e que aquiesceu ao convite de uma empreitada ambiental que pudesse gerar um Planejamento Técnico Econômico-Financeiro para o tratamento das águas com o aporte de recursos da iniciativa privada.

A direção da Manancial informa que a tecnologia já está definida aguardando o plano de mídia para buscar os demais patrocinadores.

A direção do Horto sinaliza disposição em flexibilizar ao máximo as condições de divulgação do projeto, com o intuito de torná-lo atraente aos futuros parceiros.

Tudo indica que se trata de um empreendimento em que todos os envolvidos poderão levar vantagem. Os usuários, o Horto, a Cidade e os Patrocinadores. E, na volta à qualidade das águas do passado estaremos vivenciando no futuro uma Cidade de mais qualidade.

Carlos Magno Gibrail é doutor em marketing de moda e escreve, às quartas-feiras, no Blog do Mílton Jung

Cidadão quer lago recuperado no Horto Florestal

 

Lago do Horto Florestal Clique aqui e veja as imagens da série Parques da Cidade produzida pelo CBNSP

Onze quilômetros o separa do centro da cidade, distância que não deve ser empecilho para o paulistano deixar sua casa até área tão privilegiada quanto o Horto Florestal, na zona norte. No pé da Serra da Cantareira, com cerca de 174 hectares, boa estrutura para receber os visitante e dois lagos que merecem cuidado maior, o Horto foi cenário da última reportagem ao vivo da série sobre os parques da cidade, produzida pelo CBN SP desde a primeira semana de dezembro.

A sujeira e o mau cheiro dos lagos foram as principais reclamações dos frequentadores ouvidos pela repórter Fabiana Novello que esteve lá durante toda a manhã desta terça-feira.


Ouça a opinião do público sobre o Horto Florestal

Fabiana, também, conversou com a administração do local para saber quais ações que estão sendo adotadas pelo Estado para atender a demanda dos visitantes. De acordo com o coordenador de educação ambiental Reinaldo Moreira a expectativa é pela parceria com a iniciativa privada para efetuar a limpeza do lago.

Ouça o que disse o representante do Horto Florestal

Foto-ouvinte: Avenida descartada no lixo

 

Lixo interrompe avenida

Está cada vez mais complicado passar pela avenida Aldo Ribeiro Luz, em Pirituba, na zona norte da capital. E o problema não é o congestionamento de carro, mas de lixo. O ouvinte-internauta Glicério Rocha diz que o irônico da cena e saber que logo após o entulho tem o portão de entrada da Enterpa Engenharia, empresa que, entre outras funções, trabalha no setor de limpeza.

Agora o outro lado:

Resposta da Subprefeitura da Freguesia/Brasilândia

Em atenção à reclamação de ouvinte veiculada no programa CBN São Paulo, cuja fotografia foi publicada no blog do Milton Jung, sobre acúmulo de lixo na avenida Aldo Ribeiro Luz (continuação da Avenida Brasilina Vieira Simões), a Subprefeitura Freguesia/Brasilândia informa que trata-se de um ponto viciado e ali são realizadas constantes ações de limpeza.

Com o objetivo de acabar com o acúmulo e transformar o espaço, a empresa com sede no local entrou com um pedido de Termo de Cooperação para cuidar da área que na verdade é a calçada de sua edificação. O pedido está em andamento e em breve o local estará completamente diferente.

A Subprefeitura ressalta ainda que o depósito de lixo e entulho em via pública prevê multa de R$ 12 mil e apreensão do veículo utilizado para o transporte do material. Qualquer denúncia ou solicitação pode ser realizada pelo telefone 156, Praças de Atendimento da Subprefeitura ou pelo site

Deu bode no aniversário de São Paulo

 

Deu bode em São Paulo

Calma lá … nenhum problema para a festa de 456 anos de São Paulo. Os bodes estavam na avenida Elísio Teixeita Leite, em Paradas de Taipas, zona norte da capital, quando a repórter da CBN Michelle Trombelli foi se encontrar com a Dona Ana, Poetisa de Taipas, personagem da primeira reportagem da série “Viver melhor em São Paulo, que vai ao ar, hoje, no CBN SP.

Os animais atravessavam a avenida de um lado para o outro em busca de comida. “De acordo com um rapaz que os observava de cima de um muro, os bodes são de uma chácara da região”, contou Michelle.

Canto da Cátia: Tempo ruim

 Árvore cai sobre casa

Das diversas árvores que caíram durante o temporal na madrugada uma atingiu a casa de família simples do bairro de Cachoeirinha, na zona norte de São Paulo. Apesar do atendimento recebido no local do acidente, uma mulher morreu. Outra que vivia com ela ficou ferida e teve de ser hospitalizada. A Cátia Toffoletto estele por lá e soube que duas crianças também viviam no barraco, mas teriam sido levadas para a casa do pai na noite anterior.