De olhos da alma

 


Por Maria Lucia Solla



Ouça ‘De olhos da alma’ na voz e sonorizado pela autora

Quanto sofrimento atinge o povo deste planeta azul! Portamos uma tarja preta no sorriso, o fogo do coração vive ameaçando apagar, e quando pensamos: agora a tristeza vai dar uma trégua e dar lugar à alegria, ela rodopia num volteio artístico, poético – que esses atributos a tristeza também tem – e nos atinge em cheio.

Uma vez, uns poucos nos exibem a dor, uns dias uns, outros dias outros; outra, é uma cidade inteira que morre e engole, no seu último suspiro, tudo o que sustentava; e nós acreditamos ser os donos da terra. Acreditamos que a tristeza, os golpes desferidos pela foice descontrolada da morte, que tudo isso vem de fora para dentro. Nos cremos mira de arma injusta; vítimas do outro, e continuamos nos afogando no mar das certezas de que: o que vem de fora é que me deixa triste, não é parte de mim e portanto me ameaça.

Mantemos os olhos da alma fechados e escancaramos os do corpo, cada um olhando para o próprio umbigo e puxando a corda na sua direção. De que adianta condenar o bullying nas escolas e continuar a praticar em todas as camadas sociais, todas as faixas etárias, o bullying analfabeto e o bullying diplomado; na rua, na família, no trabalho?

O ser humano está doente; muito doente. Apontamos os defeitos dos outros e implodimos sob o peso dos que tentamos esconder. Escondemos os sintomas, e morremos da doença. Há! Não há nada que a medicina moderna e avançada possa fazer, nada que a economia possa sanar, que a política possa forjar e os presidentes presidenciar. É trabalho de formiguinha, cada um começando a resolver os seus próprios problemas, por mais difíceis e impossíveis de resolver que possam parecer. É trabalho de coragem, abrir bem os olhos da alma e reconhecer o caminho a tomar, que pode ser diferente do meu, mas que é o teu caminho. É trabalho de coragem, olhar de frente os anseios e seguir o caminho que leva até eles. O caminho do meu equilíbrio é fundamental para o equilíbrio de todos.

Portanto, a arrumação começa dentro de casa, e não só quando vem visita. Que bom será quando reciclarmos o medo que nos faz agredir o outro, e colocá-lo em maus lençóis – para que ele caia e eu sobressaia; que bom quando transformarmos esse medo no querer a força que nasce da união; na amorosidade, no respeito, na generosidade.

Pense nisso, ou não, e até a semana que vem.

Maria Lucia Solla é terapeuta, professora de língua estrangeira e realiza curso de comunicação e expressão. Aos domingos, escreve no Blog do Mílton Jung

35 comentários sobre “De olhos da alma

  1. Amiga , concordo ,plenamente , com teu texto de hoje , e sempre me preocupo com a doença coletiva que assola nossas almas e o medo que permeia nossas atitudes , podendo transformar em “monstros” aqueles desassistidos de todos os bens e todos os valores. Abraços , Maryur

  2. AMIGA MARIA LUCIA,
    BOM DIA.
    CONCORDO CONSIGO ,TEMOS QUE APRENDER A SER MAIS SOLIDÁRIOS E MENOS CRÍTICOS,O BULLYING ESTÁ EM TODA PARTE,NA COR,NO OLHAR,NO AMOR,NA DOR ,ENFIM NO SER HUMANO
    BEIJOS
    FARININHA.

  3. Maria Lucia,

    A sociedade, um ser quase abstrato, que é todos e sou eu, e você, e cada um, pratica um bullying vestido de preconceito, de arrogância, de desprezo por quem não se “encaixa” nos padrões “normais”. Precisamos urgentemente mudar nossa postura, abrir os olhos da alma, como você diz.

    Que seu texto seja um convite a essa mudança.

    Beijos,
    Suiang

  4. Quanto mais os conhecimentos que envolvem a física quântica avançam, mais nos tornamos mais do quanto somos ínfimos no universo.
    Aproveito para assistirem o filme “Quem Somos Nós”
    Em DVD.
    Para os materialistas convictos, assustador.

  5. Oi Prima querida, só quem tem uma alma nobre consegue escrever sobre problemas que atingem toda humanidade.
    Realmente a limpeza sempre deveria começar dentro de nós, pois apenas quando limpamos primeiro nossa vidraça conseguimos ver o mundo de maneira mais clara.
    Nesta semana estamos todos de luto e esperamos que algo aconteça para melhorar este cenário.
    Bjs
    Magutcha

  6. Suiang, amiga minha,

    sei que os teus olhos da alma enxergam muito bem, obrigada.
    Também quero dizer em alto e bom som que é um privilégio poder seguir parte do meu caminho com você.

    beijo e boa semana,
    ml

  7. alpha india,

    se a gente começar a exercitar o respeito como prioridade, ainda antes de exercitar o corpo, o mundo seria um verdadeiro paraíso.

    A Lei de Gerson seria texto de museu, o mais poderoso não exploraria o menos poderoso, e o bullying seria um boneco de filme de ficção científica de terror.

    beijo,
    ml
    PS: já tem recado pra você no meu blog, no post de tua colaboração.

  8. O que é a felicidade ????

    Certa vez obtive uma resposta que vai além do que achamos normal.

    “é um estado de satisfação existencial”

    De que forma existimos????

    Somos em muitos casos piores que animais porque vivemos ainda na infância de nossa existência.

    A nossa “casa” não é a material, e sim aquela que abriga o nosso corpo. Essa precisamos arrumar.

    Leva muito tempo.

    Armando, assista o “ativista quântico”

    Abraços

  9. Olá querida Malú…
    Lindo texto que nos faz abri os olhos.
    “a arrumação começa dentro de casa, e não só quando vem visita”
    que começamos apartir de nós!

    Bjus e uma linda semana.

  10. Oi Malú,

    Amor, respeito e generosidade: sentimentos que moram muito fundo na alma. Temos muita dificuldade de vê-los e sentí-los. Quem não tem não sabe oque é e quem tem também não faz muita questão de praticar e olhará sempre para o próprio umbigo.

    Poucas pessoas afloram esses sentimentos e poucas entendem a real necessidade de praticá-los.
    Uma pena pois o ser humano sempre tropeçará nas próprias pernas e nunca entenderá como a vida é fácil de ser vivida.

    Vamos fazer a nossa parte e oremos!

  11. Maria Lucia, quando a gente vê na rua uma pessoa ferida, logo corremos para ajudar. Quando uma pessoa pede socorro logo acudimos. Mas acho que tem uma doença que quase nem imagimanos que a pessoa que está ao nosso lado tem. E quando a gente tem, a pessoa ao nosso lado nem imagina que temos essa doença: A doença da alma que é invisível. Não tem cor e cheiro. Lindo texto.

    Deixo essa canção para reflexão:

    O Sal da Terra
    Beto Guedes
    Composição : Beto Guedes/Ronaldo Bastos

    Anda!
    Quero te dizer nenhum segredo
    Falo nesse chão, da nossa casa
    Bem que tá na hora de arrumar…

    Tempo!
    Quero viver mais duzentos anos
    Quero não ferir meu semelhante
    Nem por isso quero me ferir

    Vamos precisar de todo mundo
    Prá banir do mundo a opressão
    Para construir a vida nova
    Vamos precisar de muito amor
    A felicidade mora ao lado
    E quem não é tolo pode ver…

    A paz na Terra, amor
    O pé na terra
    A paz na Terra, amor
    O sal da…

    Terra!
    És o mais bonito dos planetas
    Tão te maltratando por dinheiro
    Tu que és a nave nossa irmã

    Canta!
    Leva tua vida em harmonia
    E nos alimenta com seus frutos
    Tu que és do homem, a maçã…

    Vamos precisar de todo mundo
    Um mais um é sempre mais que dois
    Prá melhor juntar as nossas forças
    É só repartir melhor o pão
    Recriar o paraíso agora
    Para merecer quem vem depois…

    Deixa nascer, o amor
    Deixa fluir, o amor
    Deixa crescer, o amor
    Deixa viver, o amor
    O sal da terra

  12. Ezequiel,

    será que já aprendemos que a felicidade não é a ilusão do Carnaval? Isso já seria um bom começo, não é?

    Pegando carona na tua sugestão para o Armando Ítalo, vou procurar assistir o filme que vc recomendou.

    Sérgio! você tem?

    beijo e boa semana,
    ml

  13. Karen,

    há que arrumar a mente, escolhendo os pensamentos como se escolhem os feijões; há que arrumar o coração selecionando bem, cada emoção; escolher o alimento pra que não tenham efeito de fermento; escolher o olhar que não vá o outro machucar. E a palavra, ah, meu Deus, a palavra! a atitude! até o silêncio pode ferir mais do que a arma carregada…

    Bom poder dividir parte do domingo com você.

    beijo e boa semana,
    ml

  14. Cláudio,

    Esses sentimentos continuam morando fundo demais, guardados a sete chaves, como guarda o dinheiro, o avarento. O que acontece é que guardado assim, todo tesouro corre o risco de ser comido por ratos, famintos de tesouros guardados, e a gente acaba, sem usufruir deles, deles desprovidos.

    E haja oração!

    beijo e boa semana,
    ml
    PS: Obrigada pelo carinho.

  15. Daniel Lescano.

    Eu tenho um CD duplo do Beto Guedes. Na primeira parte que eu acho mais importante para reflexões, quase todas as músicas tem um fundo mais espiritualizado. Se não ouviu, ouça mas com os ouvidos da alma.

    A letra mata, o espírito vivifica.

    Abraços

  16. Mama,

    Fica o ensinamento de Kishna para o bravo Arjuna…

    “Os Sábios não se afligem nem pelos vivos nem pelos mortos. Jamais deixei de existir, nem tu, nem estes condutores de homens; nenhum de nós deixará jamais de existir no futuro”

    Bagavad-Guitâ, II, 11 e 12

  17. Fica o ensinamento do Senhor Krishna para o bravo Arjuna

    “Os Sábios não se afligem nem pelos vivos nem pelos mortos. Jamais deixei de existir, nem tu, nem estes condutores de homens; nenhum de nós deixará jamais de existir no futuro”

    Bagavad-Guitâ, II, 11 e 12

  18. Ezequiel, gosto muito do Beto Guedes e do pessoal do Clube da Esquina. Esse CD realmente é muito lindo. Tem que ouvir com a alma de verdade. E não com a Alma de Borracha que por sinal dá título a um dos LPs do Beto. Valeu brother.

  19. “Se podes olhar, vê./Se podes ver, repara.” /José Saramago
    [no “Ensaio sobre a Cegueira”].
    Pois é, Maria Lucia. Lembrei-me desta frase, ao ler seu texto. Se os olhos são o espelho da alma, é preciso cuidar para que o cérebro não corrompa nosso ânimo. Compaixão sempre. Bom ver e ler esta ótima reflexão. Beijo.

  20. Suely,

    você sempre está às voltas com grandes nome, grandes seres! Obrigada por trazer Saramago.

    Sim, compaixão sempre, ternura de entrada, compreensão deprato principal. E, dessa forma, da mesa a gente sai sempre satisfeito.

    beijo e boa semana,
    ml

  21. sérgio,

    mas não é que tem cabeça pra tudo?

    Agora, o certo é que a gente não acha tempo nem pra ver os amigos e a família; nem pra falar com eles por telefone. E aí, como faz?

    To be or not to be…

    beijo,
    ml

  22. Mike Lima
    Um dia faltei ao treino na academia de Judô.
    Era adolescente ainda.
    Levei uma bronca do Sensei porque deveria ter ido ao treino porque estávamos em vésperas de um Shiai, disputa.
    tentei explicar que não tive tempo para ir aos treinos.
    E o Sensei me respondeu então:

    “O tempo é você que determina”

  23. alpha india,

    é verdade! Fiz Aikido e conheço a rigidez dos Sensei.

    Era assim, e continua sendo. Com a diferença de que hoje a gente usa um tempo muito maior lutando para sobreviver, e não sobra muito para viver.

    Os amores passam perto, e a gente nem vê.

    Pena; muita pena!
    Era melhor.

    beijo,
    ml

  24. Mike Lima
    Você talvez podera dizer que sou maluco de pedra, que gosto de aparecer, “que sou diferente” et e tal.
    mas nao e por ai ok. rs rs
    então vamu lá!
    Me dou o direito de fazer o meu tempo e administra-lo da melhor forma possivel
    Não fico na neura de ficar correndo “pra lá e prá cá”, tresloucadamente por causa do dinheiro, de compromissos “inadiáveis”. etc.
    Porque ajo desta forma?
    Eis as razões.
    A não ser em casos de extrema urgencia e necessidade, saude, com filhos, amigos que recorrem a mim para algum tipo de auxilio, obviamente se este estiver a meu alcance.
    Mas sempre damos um jeito.
    Se eu ficar correndo pra pra cá, que nem barata tonta, “dando satisfações a sociedade” ou eternamente tendo que acatar as imposições de terceiros, um dia irei me estressar, e poderei ir parar num hospital por causa dos desgastes fisicos e mentais.
    Se dá para fazer eu faço, se não eu não faço.
    A não ser como disse acima em situações extremamente urgentes inadiáveis.
    Pois toda regra tem suas excessões.
    Tipo aborto da natureza.
    Acidente cosmico.
    Viajei muito para fora do pais, morei em cidades praianas, vivi boa parte da minha infancia em cidade pequena a quase setecentos quilometros de são Paulo.
    Confesso que apesar de ter nascido morar neste terror, pavor que se tornou São Paulo, não entro de forma alguma na rotina e nos costumes doentes da cidade, no consumismo, na neura.
    Tanto é que nem carro eu tenho e ne pretendo ter.
    Tenho outras alternativas e outros objetivos
    então dai posso manter os ensinamentos do meu mestre “Zen” Sensei.
    Ou pelo menos chegar muito proximo.
    Resumindo:
    Apenas moro em São Paulo
    Não entro de forma alguma no ritimo e nos costumes paulistanos.
    ainda mais atualmente.
    Bjus.

  25. alpha india november,

    dizer que você é maluco de pedra, que gosta de aparecer, que é diferente?
    passa longe, muito longe de mim.
    No teu relato você diz que encontrou a tua fórmula, e se você está contente, então está certo, a fórmula deu resultado, e eu te dou os parabéns por isso. Quem dera houvesse mais muitos que estejam contentes com a vida, na vida.
    é o objetivo.
    você sempre acrescenta.

    beijo,
    ml

  26. Mike Lima
    Muito poderão até pensar e cometar que eu esteja cuspindo no prato que como.
    Mas não é por ai
    Por ter vivido, conhecido outras paragens, cidades com qualidade de vida anos luz superior a São Paulo, tenho plena consciência que não gosto de viver em são paulo.
    Apesar de ter nascido aqui.
    Não tenho na da ver com a cidade, ritimo de vida, personalidade, o suposto lazer, na minha opinião, que a cidade oferece e os politicos daqui insistem em afirmar.
    Para turista ai sim.
    Só estou ainda em são Paulo “por motivos” de forças maiores familiares.
    Profissionalmente onde tiver um pc e internet ja me basta para trabalhar e exercer a minha atual profissão que e a informatica, TI.
    Mas assim que for possivel me mando de vez de São Paulo.
    Seria eu um revoltado com a cidade?
    Negativo.
    Realmente o meu santo não bate com o de são paulo.
    Se precisar vir a são Paulo para resolver algum tipo de questão, profissional certamente virei a são Paulo
    mas com certeza, depois de solucionados as questões me mando rapidinho de volta.
    Todos afirmam que são paulo é a cidade dos eventos, dos restaurantes, da moda, dos shoppings, do suposto carnaval que atualmente está resumido no sambodromo, todos desfilando confinados, e quem for assistir os desfiles paga muito caro.
    Como não curto nada disso, para mim não faz a melhor diferença em assistir, ir a restaurante da moda, ir a shopping, por sinal quando preciso comprar alguma coisa vou a lojas de rua e não a shoppings.
    Como disse.
    Para turistas, executivos de fora, que gostam de shows e eventos, shoṕpings centers, é um prato cheio.
    minhas curtições são outras.
    Nada ver com são Paulo
    Principalmente por causa do caos, da falta de respeito por parte dos politicos, da sujeira, da falta de educação do povo, dos desmandos, dos abusos das nossas maiores autoridades paulistanas.
    Por outro lado ha um item que não posso despresar.
    No que se refere a saude
    Varios hospitais de renome e famosos no mundo inteiro
    Porem,
    Para quem tem muita grana para se tratar em tais hospitais, porque se for ciar num hospital publico SUS o cara tá literalmente ferrado se não morrer na fila até ser atendiodo, se conseguir ser atendido
    Então o que fazer aqui neste horror que se tornou São Paulo, na minha opinião e preferencias.
    os incomodados que se mudem
    E eu mudo assim que foir possivel.
    eis o meu posicionamento.
    Bjus

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s