Falta de respeito à lei causa morte e acidentes de caminhão, no Rio e São Paulo

 

 


A terça-feira se iniciou encrencada para os motoristas de São Paulo e Rio de Janeiro devido a acidentes de caminhões em algumas de suas principais vias de tráfego. Logo cedo, assim que o Jornal da CBN entrava no ar, noticiamos que as marginais Pinheiro e Tietê apresentavam problemas na circulação em função dos acontecimentos. Aparentemente, foi o acidente na Pinheiros que causou maiores problemas depois que um carreta de 40 toneladas transportando plástico tombou na via expressa, em direção à rodovia Castelo Branco. Houve necessidade de equipamento especial e operação cuidadosa para destombar o veículo e liberar as faixas. O motorista não se feriu, mas terá de dar explicações do motivo de estar rodando na Marginal Pinheiros dentro de horário de restrição, que se inicia às quatro horas da manhã e foi criado com o objetivo de diminuir os congestionamentos e os riscos aos motoristas de carro que usam a via.

 

Nada do que aconteceu em São Paulo se compararia com a notícia que chegou do Rio de Janeiro assim que o Jornal da CBN se encerrou. Recebemos a informação de outro caminhão que havia provocado acidente ao se chocar com uma passarela de pedestres, na Linha Amarela. Desde as primeiras notícias na rádio, assim como as imagens que a GloboNews transmitia ao vivo, davam a ideia de que o caso carioca seria ainda mais grave. No decorrer da cobertura, infelizmente, nossa percepção se confirmou e soube-se que quatro pessoas morreram e cinco ficaram feridas após o caminhão, que estava com a caçamba levantada, derrubar a passarela. Na Linha Amarela, os caminhões só podem rodar após às 10 horas da manhã, mas o motorista disse à polícia que estava atrasado e para ganhar tempo decidiu cortar caminho.

 

As duas maiores cidades brasileiras têm buscado soluções para reduzir o impacto do trânsito e aumentar a segurança restringindo a circulação e a velocidade de carros e caminhões em horários e áreas específicos. Porém, a falta de respeito de motoristas – muitas vezes profissionais como os personagens das notícias desta manhã – e a fiscalização capenga impedem que os resultados sejam efetivos. Enquanto todos acreditarem que a vida em sociedade carece de respeito às regras, mortes e transtornos se repetirão seja no trânsito, como hoje, seja nas obras, como no Itaquerão há dois meses, seja nas boates, como na Kiss, em Santa Maria, há um ano.

6 comentários sobre “Falta de respeito à lei causa morte e acidentes de caminhão, no Rio e São Paulo

  1. Sempre quis saber o que ocorre aos motoristas de caminhão e respectivas empresas, quando provocam acidentes e paralisam uma cidade inteira. Com a agravante de circular em horário proibido e mais, com a agravante de mortes, é essencial que a midia cubra até o final. Coisa que ninguém tem feito. Em São Paulo, é quase corriqueiro caminhões bloquearem as marginais.
    Cadeia não adianta, pois é preciso tirar a habilitação e punir com multas altíssimas as empresas responsáveis.
    Precisamos respeitar o próximo.

    • Carlos,

      As prefeituras tendem a multar os motoristas e cobrar pelos prejuízos causados, porém o pagamento desses valores nem sempre são feitos até mesmo pela incapacidade financeira do profissional. Quanto a punição na Justiça pela morte, segue aquela velocidade que conhecemos no Brasil.

  2. MILTON, SOBRE O ACIDENTE NA LINHA AMARELA, IMAGINO, PURA HIPOTESE, QUE ELE LEVANTOU A CAÇAMBA PARA NAO SER FLAGRADO PELAS CAMERAS QUE MULTAM. COM A CAÇAMBA LEVANTADA A PLACA FICA ESCONDIDA.
    NOTE QUE ELE SABIA QUE NAO PODIA TRAFEGAR NA VIA NO HORARIO DO ACIDENTE.
    ABS

    MARCELO VIDAURRE

    • Marcelo,

      Esta é uma das hipóteses levadas em consideração. Hoje se soma a série de irregularidades, a confissão do motorista de que estava usando o telefone celular enquanto dirigia na Via Amarela. Ou seja, não prestava atenção no que acontecia em volta.

  3. Milton, hj as construções estão se modernizando e facilitando o trabalho das construtoras. Não vi ninguém reclamar de como pode uma passarela inteira despencar de ponta a ponta como se essa passarela estivesse apenas sendo parafusada em uma pilastra de um lado da pista e outra do outra lado. E a passarela de ferro encaixada ali. Só. Como pode uma caçamba ao passar arrancar a passarela inteirinha? Hj tudo é construido assim. Algo estava errado tbem com a passarela. Merece investigação. No minimo a caçamba deveria entortar a passarela e não derrubar por inteiro.

  4. Milton,
    A certeza da impunidade.
    É por isso que todo mundo faz o quer nesse país.
    A multa por andar fora do horário permitido é de menos de R$100,00. O indiciamento sera homicídio culposo. E pronto.
    Esse filme ja vimos muitas vezes nesse país e sabemos o final de cor.
    Bjs

Deixe uma resposta para Daniel Lescano Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s