Estamos perdendo de 4×1 em produtividade

 

Carlos Magno Gibrail

 

Metalurgica-Eberle

 

Um trabalhador americano vale por quatro brasileiros. É o que retrataram na Folha de domingo, Claudia Rolli e Álvaro Fagundes em oportuna matéria sobre produtividade trazendo os resultados de estudo do Conference Board.

 

O Conference Board, entidade norte-americana, pesquisou 1200 empresas públicas e privadas de 60 países para comparar o PIB per capita da mão de obra. Este trabalho é realizado desde 1950 e apontou que neste período tivemos uma melhoria em 1980, mas voltamos ao patamar inicial.

 

unnamed

 

Autoridades especializadas foram consultadas e relataram os seguintes fatores causadores desta situação: carga tributária, riscos cambiais, juros altos, poucos acordos de livre comércio dificultando o acesso a bens e serviços inclusive os de maior tecnologia, dificuldades burocráticas ao acesso de professores, técnicos e cientistas estrangeiros para trabalhar aqui, e mobilidade urbana caótica. Enfim, todos, fatores emanados do poder público, enquanto as empresas nacionais oferecem em média 30 horas de treinamento ano, e o americano recebe 120 a 140 horas.

 

Da parte do trabalhador, tanto o intelectual quanto o operacional, é preciso uma revolução cultural, pois hoje, não se identifica uma responsabilidade social e civilizada. A nossa cultura não valoriza aspectos essenciais como pontualidade, respeito aos horários, e aos menores detalhes organizacionais. Compromissos são desmarcados, horários não são cumpridos, superiores são inacessíveis. Tom Peters, renomado autor corporativo, disse aqui em palestra que o executivo brasileiro não atende telefone, e ligou na hora para o Fred, dono da Fedex, e o próprio Fred atendeu.

 

O baixo nível de leitura, talvez explique que a média dos nossos anos de estudo seja de sete, enquanto os americanos ficam de 12 a 13 anos na escola. Ou, será que é ao contrário? E, olhe que as escolas não exigem pontualidade e liberam celulares e computadores em sala de aula.

 

Haja produtividade!

 

Carlos Magno Gibrail é mestre em Administração, Organização e Recursos Humanos. Escreve no Blog do Mílton Jung, às quartas-feiras.

3 comentários sobre “Estamos perdendo de 4×1 em produtividade

  1. Hoje, por exemplo, em SP levaremos uma goleada de 7×1 dos americanos, pois os metroviários estão em greve, e mais uma vez desrespeitando outros trabalhadores, que em sua maioria não tem as privilegiadas condições que são dadas aos funcionários da CPTM.
    Haja produtividade!

  2. Sobre este tema, Carlos, o das greves em serviços públicos, me atrevo a reproduzir aqui nota lida, recentemente, na coluna de Ancelmo Gois, em O Globo, na qual cita análise feita pelo historiador Daniel Aarão Reis ….

    Greve no serviço público

    Texto do historiador Daniel Aarão Reis, com histórico de militância na esquerda, inclusive na luta armada, agita o meio universitário, ao condenar o uso da greve (“decidida por pequenas minorias de ativistas iluminados, sem representatividade”) na luta contra cortes de recursos na educação. Ele propõe outras formas de luta.

    Segue…

    Para o historiador, a greve dos serviços públicos “é uma infeliz mimetização dos movimentos operários, ou dos segmentos que trabalham nos setores produtivos. Ao invés de prejudicar os patrões, prejudica apenas e tão somente os usuários dos serviços, no nosso caso, os cursos de Graduação”.
    Ele não acredita na eficácia do modelo de reposição das aulas depois da greve.

    Um bom debate…

    Daniel aborda outro aspecto polêmico das greves do serviço público no Brasil, como o fato de os grevistas continuarem recebendo seus salários:
    – Como já disse em outros momentos, se os trabalhadores do mundo soubessem que é possível fazer greve ganhando salários… ai do capitalismo, não haveria um que não paralisasse imediatamente o trabalho.

    • Milton, o contexto social, politico e econômico atual não tem nada a ver com o passado, quando a greve era um instrumento legitimo. Agora e aqui, no serviço público, nem antes, nem agora e nem nunca será um instrumento adequado, pois o prejuízo irá caber à população.
      Ouvi ontem várias entrevistas com populares na CBN. Foi revoltante o retrato deste sacrificio imposto à população.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s