A alarmante estatística de jovens assassinados, em Porto Alegre

 

Por Mílton Ferretti Jung

 

Zero Hora publicou, na última segunda-feira,alarmante estatística. Como nem todos leem jornais diariamente,copiei a manchete com seus números assustadores:

 

Homicídios de crianças e adolescentes crescem 61% na Região Metropolitana

 

Na sua página 5, acrescentou que levantamento de ZH e Diário Gaúcho demonstra que, a cada três dias,um jovem com menos de 18 anos é executado. Foram 50 nos cinco primeiros meses deste ano.

 

Tento imaginar quantas famílias ficaram enlutadas em razão dessa verdadeira carnificina,mas não consigo.Na abertura da matéria dos dois jornais da RBS,há outra informação que lembra qual foi a data da primeira vítima do morticínio em 2015: 1° de janeiro. Michael Wesley Cacildo Alves,de 16 anos,foi ainda baleado e,não bastasse isso,atropelado na Avenida Doutor João Dentice,no mal afamado bairro Restinga. As mortes,claro,não param aí.

 

Outro trágico detalhe:pelo menos,notem bem: os números estampados nos dois jornais indicam que 50 crianças e adolescentes morreram só nos primeiros cinco meses do ano. Trata-se de aumento de 6l,2% em relação às 31 vítimas do mesmo período de 2014. A primeira vítima deste ano,Michael Wesley,era estudante,vivia com a mãe e a irmã,sem nunca se envolver com algo ilícito. Morreu por ter cruzado com integrantes de uma gangue da Restinga. Esse bairro é considerado o mais violento da cidade.Imagino que a polícia,por mais que tente impedir a mortandade na região maldita, não consegue e é superada pelos maus elementos. Prova disso é o número de quadrilhas 20 – conforme levantamento da Brigada Militar.Aliás, autoridades tais como os Secretários de Segurança, chefes de polícia,comandantes da BM, valem-se do que chamam de áreas conflagradas visando a sua incapacidade de produzir resultados positivos para acabar com mortes como a de Brenda (exemplo dado pelos jornais da RBS)que perdeu a vida quando ia a caminho de sua casa.É muito triste que as pessoas tenham de morar na perigosa região da Restinga.

 

É uma pena que não haja estatísticas referentes ao número de menores de 18 anos que integram gangues. Esses “meninos”,muitas vezes,juntam-se aos escolados bandidos com o propósito de aprender a assaltar alunos de colégios como o Protásio Alves,onde estudam várias vítimas desses bandidinhos e dos seus “professores”.

 


Milton Ferretti Jung é jornalista, radialista e meu pai. Escreve no Blog do Mílton Jung (o filho dele)

2 comentários sobre “A alarmante estatística de jovens assassinados, em Porto Alegre

  1. Há uma estatística que também é alarmante para quem é a favor da redução da maioridade penal: segundo o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), apenas 1% dos homicídios registrados no país é cometido por adolescentes entre 16 e 17 anos. Este dado não interessa à RBS, cujo filho do dono, menor de idade, foi condenado por estupro.

  2. Mílton Pai,

    você fez uma coisa que eu penso muito em fazer. Ler junto com o leitor, pra pensarmos juntos.
    Participando do teu convite à reflexão, decidi que não vou esperar estar melhor, mais forte, menos rodeada por toda sorte de falta de sorte. Vou começar um trabalho com jovens, já! Vou oferecer meu tempo e as coisas que escolhi para mim, na vida, e vou tentar compartilhar.
    Obrigada pelo incentivo!
    Como você, acho triste sim, mas nada de crítica ou de dedo em riste. Cansei!
    Mão na massa, já!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s