A conversa esquentou com meu sogro

 

Por Rosana Jatobá

http://www.flickr.com/photos/mikaelmiettinen/

Ele quer uma neta. E deseja que chegue logo, com a cara da mãe.
– Já tem muito homem nesta família. Precisamos de mais beleza, graça e sensibilidade.

Sem cerimônias, elenca as recomendações para a futura criança :
– Ela vai crescer ouvindo os clássicos da música e da literatura internacional. Vai falar línguas desde cedo e frequentar museus e galerias de arte.

As sábias palavras são do meu sogro: homem de bem, de bom gosto e de personalidade forte. Com inteligência de sobra, comanda a conversa, discorda de tudo e dita as próprias verdades.

A bola da vez é o aquecimento global.

-Esses ambientalistas que você defende são uns imbecis! Ignoram a história da humanidade, os ciclos naturais da Terra, e se apossam de teorias fajutas de oportunistas, como Al Gore. Quem disse que o suposto aquecimento global é resultado da ação humana?

Como não resisto a uma provocação, exponho meus humildes conhecimentos.

– Esta foi a conclusão a que chegou um dos maiores economistas do mundo, Nicholas Stern, em outubro de 2006, antes mesmo de Al Gore surgir na cena ambiental com o seu panfletário filme: ” Uma verdade inconveniente” . Stern, ex-economista -chefe do Banco Mundial, demonstrou, por meio de um relatório de 700 páginas, que o acúmulo de gás carbônico é a principal causa do aquecimento terrrestre. Mais tarde, em 2007, cerca de 3 mil cientistas corroboraram a tese e publicaram o mais extenso e completo documento sobre as mudanças climáticas provocadas pelos gases de efeito estufa, o IPCC.

– Relatório manipulado para atender a grupos interessados nas polpudas quantias destinadas às pesquisas do clima!

– Nem todos os dados estão sob suspeita. E o relatório foi ratificado por quase toda a comunidade cientifica.

-Quem ousa desafiar a postura oficial é relegado ao ostracismo. Tem muito climatologista contrário à doutrina do aquecimento global sendo boicotado e impedido de publicar seus próprios trabalhos.

-Mas a meteorologia já aponta para um cenário devastador, que tende a piorar nas próximas décadas, caso não haja uma redução das emissões.

-Como eu posso acreditar que os modelos climáticos acertarão as previsões para daqui a 50 ou 100 anos, se eles não conseguem dar conta de eventos de curto prazo?

Para uma moça do tempo, essa crítica é como uma facada….Mas tomo fôlego e continuo o debate.

-Em que dados você se baseia para contestar o relatório?

-Na “mea culpa” feita por cientistas do próprio IPCC, como o climatologista Phill Jones. Ele reconheceu que parte das informacões do relatório não passa de especulação sem base científica. E o pior: que nos últimos 15 anos o mundo não teve aquecimento algum. Mojib Latif, outro cientista da mesma cepa , acaba de desmentir a doutrina que defendeu por anos. Ao invés de aquecimento global, vamos ter resfriamento global causado por alterações cíclicas naturais nas correntes oceânicas e nas temperaturas do Atlântico Norte.

-Você acha que toneladas de CO2 lançadas todos os dias na atmosfera sobem impunemente? Tanta poluição não vai cobrar um preço? É natural retirar materia orgânica das profundezas da terra, sedimentada em forma de petroleo, queimá-la e lançá-la pelos ares? Já temos 375 partes por milhão de CO2 na atmosfera.

– Em meados do século dezenove, quando mal se ouvia o barulho do motor, a concentração de CO2 chegou a superar 500 ppm. E há cerca de 35 milhões de anos, esse nível passou de 1000 ppm !!!!. E nós estamos aqui pra contar a história….Você, jornalista, não pode acreditar neste “catastrofismo climático” de projeções alarmistas!

É claro que uma fera como meu sogro, Mestre pela FGV, com especialização em Standford, iria esgotar meus argumentos. O silêncio veio como um soco no estômago, seguido da inevitável dúvida:

-Será que fui ingênua o bastante pra me deixar envolver pelo discurso da moda?

Relembrei o dia em que comecei a estudar com mais afinco as mudanças climáticas, inspirada pela palestra do Al Gore na Oca do Ibirapuera; os congressos que frequentei, as entrevistas a que assisti; os fins de semana debruçada sobre livros e apostilas do curso de gestão ambiental….. Será que fui iludida, que é tudo uma farsa? Um lobby perfeito da indústria verde?

A inquietação me acompanhou por dias e dias. E só perdeu sentido quando subi ao palco de um importante auditório em São Paulo para apresentar um evento da maior rede varejista do mundo. O Wal Mart anunciava o seu Pacto de Sustentabilidade. A rede, que até pouco tempo era conhecida pela falta de preocupação com o meio ambiente e com as condições de trabalho de seus funcionários, agora exibia uma ampla plataforma de projetos de responsabilidade econômica, social e ambiental.

Na esteira do Wal Mart, milhares de empresas dão o exemplo. E ainda que a motivação seja puramente capitalista, para obter vantagens competitivas, o fato é que a estratégia de negócios está reduzindo a sobrecarga sobre o planeta.

Essas companhias não esperaram para ver se há mesmo aquecimento global ou não; ou se o fenômeno decorre dos caprichos da natureza ou dos desmandos do ser humano….

A questão ficou pequena diante da maior urgência, que é a de preservar os recursos naturais para garantir a nossa sobrevivência e a das futuras gerações. Se mantido o ritmo atual de consumo, vamos precisar de dois planetas no ano de 2050, calcula o grupo conservacionista WWF.

Desejo que a neta do meu sogro frequente as aulas de balé e os concertos de música clássica, sem precisar usar máscaras de oxigênio no percurso até as academias. Que ela caminhe pela faixa de areia fina e branca da praia, não invadida pelo mar. Que ela tenha o prazer de admirar Ipês, Paus-ferro, Pinheiros e Jatobás.

E que seja tão inteligente quanto o avô para perceber que “há que se cuidar do broto, pra que a vida nos dê flor e fruto”!!

Vai contestar, meu querido sogro?


Rosana Jatobá é jornalista da TV Globo, advogada e mestranda em gestão e tecnologias ambientais da USP. Toda sexta, conversa com os leitores do Blog do Mílton Jung sobre sustentabilidade – e de família, também

14 comentários sobre “A conversa esquentou com meu sogro

  1. A minha avó materna, que não era tão letrada quanto o seu sogro, dizia sempre: “nem tanto ao mar, nem tanto à terra”… Um jeito sábio e simples de dizer que o bom senso
    (longe da paixão que cega) é sempre o melhor conselheiro.

  2. Querida li com atenção o seu comentário, adorei mesmo. É por essas e outras coisas que nós assistimos diariamente essas catástrofes que vem acontecendo pelo mundo afora, e ainda ficam dizendo que o homem não tem culpa disto – Me bata um abacate – um beijão

  3. Querida Rosana,
    Aprendi que o fato de ficar sem argumento, nem sempre significa que eu não tenha razão.

    No seu caso, não há como reprovar sua postura engajada, preocupada e competente no que diz respeito a preservação do meio ambiente de forma prática, simples e racional.

    Você sabe muito bem do que fala.

    Parabéns pelo texto !

    Ah ! Antes que me esqueça, desejo que a neta do seu sogro seja acima de tudo feliz !

    beijos,
    Silvia

  4. Alguém tem que levantar, e bem alto, a bandeira anti-poluição e degradação do meio ambiente. Prefiro que seja você, ao invés de algum canalha oportunista.
    Grande beijo e vá em frente. Tenho muito orgulho de você.

  5. Rosana, fico com a turma do Bill Gates da INTELLECTUAL VENTURES, que em termos de curriculum e de proezas científicas já realizadas são imbativeis.
    Bem, eles atestam Al Gore, apenas criticam os exageros, Entretanto a ameaça ao planeta é confirmada.
    Assunto técnico não dá para contestar por “feeling”.

    Abraço

    Carlos Magno

  6. Meu sogro formado pela vida, convenceu a família e seus vizinhos do sítio, a transformar lixo orgânico em adubo natural. As crianças de nossa família adoram! Antes do balé e do karatê, saberão que cuidar do planeta é agradecer o presente de Deus: A vida!

  7. Parabens Ro! consegui desta vez driblar a censura chinesa e entrar no seu site…acho que a palavra sustentabilidade ja deixou de ser “bloqueada” aqui por fatos obvios q voce colocou de forma quase poetica nesse apelo p se cuidar do broto pra que a vida nos de flor e fruuutoss! Fantastico! e como acredito no desenvolvimento do ser humano eh possivel que o proximo almoco seja ainda mais rico para seus leitores! Xin Nian Kuai Le de Beijing! Ritinha

  8. Não importa se o planeta está aquecendo! Estamos sim sujando e degradando nossa Terra, e isso precisa parar. A bandeira do aquecimento global serve para criar consiência à humanidade, e sempre vai haver aqueles que colocam seus interesses pessoais acima desta consiência. Mesmo assim, vamos navegando de geração em geração, aprendendo a viver mais e ser mais feliz.

  9. Olá Rosana
    Todos somos sabedores que degradação do planeta, deve-se ao descaso do homem, da ganancia, das ações e atitudes impensadas, imediatistas, “de quem pode mais, chora menos”, dos lobbys.
    A assombrosa falta qualidade de vida que cresce dia a dia!
    E agora?

  10. Rosana:
    O seu sogro não comentou o texto. Qual será o motivo: Falta de tempo? Ele está muito ocupado com o futuro da neta não gerada, que será “linda como a luz da lua” e terá cabelos “negros como as asas da graúna” se ambas – lua e graúna- existirem para a devida comparação quando a princesinha nascer?? Ou será que ele está pensando no tamanho do iceberg que se desprendeu na semana passada?
    Sinceramente, acho que ele não comentou pois ficou sem argumento….

  11. Olá Rosana, como meteorologista com doutorado na USP e atuando no CPTEC desde 1995, não posso deixar de colocar o meu recado. Em diversos aspectos concordo com teu sogro, realmente não há uma certeza se o CO2 é o fator preponderante para o aquecimento global. Mesmo no relatório de 2007 do IPCC eles não foram categóricos. Já debati com alguns jornalistas da Folha, mas desisti, pois a questão do aquecimento global (que existe sem dúvidas) antropogênico (dúvido) em alguns circulos da mídia passou ser uma religião. E como todos sabemos, dogmas religiosos não se atacam, mas se respeitam.
    Também há uma grande confusão entre poluição e concentração de CO2. Poluição é algo que envolve outros componentes. Por exemplo, os NOx causam, entre outros males, atenuação da radiação solar incidentes, logo poderiam levar a terra a uma era do Gelo. E CO2 é liberado naturalmente por todos, ou quase todos, seres vivos, inclusive plantas (que também respiram O2!).
    Com relação a modelos, novamente concordo plenamente com teu sogro, trabalho com um modelo numérico e sei a verdadeira caixa de pandora que é. Os modelos do IPCC tem uma falha grave, que não é considerar a flutuabilidade na escala secular da radiação solar que chega no topo da atmosfera. Numa artigo dos anos 1990, um pesquisador demonstrou que a flutuação desta energia levou a aquecimento e esfriamentos do planeta, portanto é ridiculo não considerá-la. Também há a questão levantada pelo Dr. Molion, que agora está em Alagoas e que por muitos anos trabalhou aqui no INPE. Ele argumenta que o volume de CO2 lançado pelo homem corresponde a somente 4 a 5% do volume lançado pela natureza. Logo, a atividade humana seria desprezível. Como está na própria página do IPCC, medidas dos níveis dos oceanos feitas na Holanda demonstram que estes vem subindo constantemente desde 1850, quando começaram as medições. Logo, não tem intervenção do homem nisto.
    Bem, isto são alguns poréns que gostaria de colocar. Todavia, acho imprescindível uma mudança no comportamento da sociedade, que nos últimos séculos vem se comportando como um verdadeiro gafanhoto. Isto sim deve ser discutido, uma mudança radical na loucura consumista. Que nos leva, por exp., a comprar carros em cidades que não mais os comportam. Usar garrafas pet e assim vai..
    fortes abraços
    marcelo

  12. Oi, Marcelo
    O meu sogro comentou, sim. Ele é o Armando, comentário 5.
    Agora, o seu comentário está maravilhoso, digno de um próximo texto! Obrigada. Beijo grande. Rosana

  13. Querida Rosana

    Este seu humilde sogro, curva-se em profunda reverência, ao Dr. Marcelo Barbio Rosa (comentário 11). Alguém do ramo, precisava meter a colher naquele angu. O fanatismo é cego e se recusa a dar ouvidos à razão. O CO2 é a bola da vez. Logo logo, aparecerão outros vilões; quem sabe, os terremotos tenham origem em alguma agressão que os homens maus (especialmente os americanos) fazem à natureza, ou os deslocamentos de icebergs da Antártida, sejam resultado da pesca de baleias…Pode esperar.

    Um abraço carinhoso

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s