Absurdo: vereador quer comércio em área exclusivamente residencial

 


Por Carlos Magno Gibrail

 

 

As ZERs Zonas exclusivamente residenciais, representadas por 55 entidades de moradores, tem se manifestado pela manutenção destas áreas estritamente como moradia. Por isso mesmo, foi com rejeição que verificaram emenda do vereador Ricardo Nunes do PMDB propondo comércio e serviços nestas regiões. Em função disso, um dos diretores do Defenda São Paulo, o administrador e músico Sergio Reze, nos procurou para contestar a ação do vereador, principalmente em relação à justificativa apresentada na emenda, quando o “nobre” legislador coloca:

 

“A apresentação dessa emenda pretende que o PDE Plano de Desenvolvimento Estratégico da cidade esteja em total acordo com a realidade de nossa metrópole mista, compacta e necessitada de pequenos comércios e serviços que melhorem a qualidade de vida dos moradores”.

 

Sergio Reze e todos os demais moradores das 55 entidades gostariam de saber de onde o “ilustre” vereador tirou esta afirmativa. Nos últimos dois meses, as 55 entidades de moradores apresentaram claramente manifestos, diretamente às autoridades municipais e publicamente defendendo a preservação destas áreas, bem como justificando as vantagens para a cidade como um todo. Ao mesmo tempo, Sergio Reze também informa ao “ilustre” vereador, que já existem nas áreas lindeiras às ZERs comércio e serviços. Outro ponto que os moradores gostariam sempre de lembrar, e neste caso especificamente ao legislador peemedebista, é que seria melhor se preocupar com os 96% do município, pois os bairros verdes ocupam apenas 3,94% da cidade.

 

Na verdade, preocupação mesmo deverá estar na pauta de hoje para os moradores preservacionistas, pois haverá audiência na Câmara Municipal para analisar mais de 400 emendas ao PDE.

 

Carlos Magno Gibrail é mestre em Administração, Organização e Recursos Humanos. Escreve no Blog do Milton Jung, às quartas-feiras.

7 comentários sobre “Absurdo: vereador quer comércio em área exclusivamente residencial

  1. Milton, não acha que as Zonas Exclusivamente Residenciais só são boas para os usuários de transporte individual prejudicando a mobilidade na nossa cidade?

    Não dirijo e utilizo transporte público diariamente. Estou a procura de uma casa própria e uma questão fundamental pra mim é a proximidade de comércio (supermercados, drogarias, padarias, etc) e acessibilidade ao transporte público.

    Acredito que uma cidade como SP não deve comportar esse tipo de zoneamento que beneficia alguns cidadãos que possuem maior poder aquisitivo e prejudica a maior parte de sua população.

    • Eliane,

      Conforme o próprio texto informa, existe na legislação a permissão para comércio nas áreas lindeiras da zonas exclusivamente residenciais, portanto essas regiões ficam próximos de comércio. Preservar estes bairros não ajuda apenas seus moradores, mas toda a cidade pois estas são reservas verdes onde a cidade ainda consegue respirar. O fim de boa parte dessas regiões fez com que a temperatura de SP subisse, motivo de muitos dos temporais que assistimos. Temporais que caem sobre todos os paulistanos e não apenas sobre os que “possuem maior poder aquisitivo”.

  2. Sergio Reze acabou de me informar que na audiência de hoje, apenas 3 entidades das 55 puderam comparecer. Devido principalmente ao fato de se tratar de pessoas na ativa e com responsabilidades profissionais. Agravado ainda pelo aviso em cima da hora.
    Em contra-partida , orquestrados por “Sua Excelência” o nobre vereador Ricardo Nunes, 15 pessoas de SANTO AMARO aplaudiam a emenda para liberar o comércio nas ZERs.

  3. Eliane, uma informação que deve sempre ser considerada é que se trata de apenas 4% da área da cidade.
    Outro dado tão importante quanto este, é que boa parte destas áreas exclusivamente residenciais abrigam residencias simples e em bairros populares. Apenas, são pessoas que gostam de viver sem barulho de veículos, de bares, de boites, de restaurantes e nem de empresas de serviço que congestionam ruas com veículos em movimento ou estacionados.
    Por fim, esta reserva arbórea, se atacada, trará prejuízos ambientais para o restante 96% da cidade.
    É ou não é um absurdo destruí-las?

  4. Faz tempo que me mudei de São Paulo, pra onde vou apenas visitando.

    Mas não é um contra-senso querer morar longe de barulho em regiões geralmente do lado do centro? Áreas residenciais não deveriam ficar nos subúrbios conforme grande parte das outras metrópoles?

  5. Prezado Gibrail, Prezado Mílton Jung,

    Hoje no programa Caminhos Alternativos teve uma matéria da ONG Resgate Cambui e outra a realizada com a médica Thais Mauad mostram a importância da cidade saudável e a saúde dos moradores.

    Aqui em São Paulo os moradores dos bairros exclusivamente residenciais lutam para manter a qualidade de vida, mas o Plano Diretor condena as áreas residenciais a desaparecerem.

    Isso porque existe um pensamento ideológico e sistemático da atual governança simplesmente contrário às Zonas Exclusivamente Residenciais, e as autoridades, de forma irresponsável, estão retirando, do novo texto do Plano Diretor, artigos da atual legislação que protegem essas áreas .

    Simplesmente desaparece o texto do artigo 156 da lei 13.430/02, que diz o seguinte “preservação e proteção das áreas estritamente residenciais” e outro que também desaparece é “manutenção do zoneamento restritivo dos bairros estritamente residenciais com a definição precisa dos corredores de comércio e serviços”.

    É um retrocesso imensurável na legislação protetiva de áreas essenciais reconhecidas cientificamente e a proximidade de dano irreparável à cidade e à saúde da população desses bairros e da cidade como um todo, eis que os bairros exclusivamente residenciais prestam serviços ambientais significativos ao território.e ao meio ambiente.

    São dezenas de entidades regularmente constituídas que protocolaram documentos e se manifestaram de diversas formas para a proteção desses bairros e a governança simplesmente desconsidera essas organizações e mantém postura antidemocrática e nociva à cidade, eis que, repetem que os bairros residenciais estão protegidos quando na verdade retiram dispositivos que hoje protegem esses bairros.

    Hoje, sábado, 14 de junho, tomei conhecimento da última versão do projeto substitutivo do Plano Diretor que está sendo elaborado pelo Vereador Nabil Bonduki, o qual, mesmo com o constante pedido técnico das entidades e com demonstração da necessidade de preservação dessas áreas, a governança mantém postura atécnica e danosa, desprotegendo os bairros exclusivamente residenciais e que, por efeito sinérgico ao longo do tempo, vai produzir danos à toda cidade e seus moradores.

    Lamentável mesmo.

    Heitor Marzagão Tommasini

  6. Prezado Milton Jung

    Sabemos que apenas 4% da Area de Sao Paulo é Zona residencial, em uma cidade com um desenvolvimento totalmente desordenado ha anos, onde nao se para de construir e verticalizar a cidade, o transito é caótico, como qualquer cidadao, independente de onde more, possa aceitar que acabem estas ilhas de verde.

    Nao é por falta de comercio , pois ele esta cituado nas zonas lindeiras e corredores comerciais.

    O que temos certeza é que a pressao das construtoras e empresas privadas, assim como uma enorme força politica age implicitamente entre os ” egregios vereadores” .

    Nunca, Jamais, uma associaçao de comerciantes de Santo Amaro, poderia ser responsavel pela mudança do Artigo que altera o Zoneamento da totalidade do municipio Paulista.

    Vergonha

Deixe uma resposta para Carlos Eduardo Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s