Os presentes de Natal

 

Paz e reflexão : )

O relógio não havia chegado às quatro da tarde e todos estávamos de cabelo lambido e roupa impecavelmente nova. A casa cheirava à colonia que completava o banho dos três irmãos ansiosos pelo passeio prometido. Na véspera de Natal, sair com o pai até o Morro da TV era a senha para o Papai Noel chegar e deixar os presentes embaixo da árvore. Mal aproveitávamos a bela vista de Porto Alegre que aquela altura toda nos proporcionava, queríamos mesmo é ver o tempo passar rápido, voltar e nos deliciar com os brinquedos e roupas comprados por minha mãe.

Hoje, a árvore está vazia, não há presentes nem passeio ao Morro. E não pense que o trânsito complicado, o shopping lotado e o tempo sempre escasso justificam a ausência das caixas coloridas que costumam decorar a sala. Deixamos pra lá as roupas dos filhos, a bolsa da mãe, a traquitana eletrônica que sempre agrada o pai, os DVDs, livros e lembrancinhas que satisfazem as visitas e parentes. Estas ausências não serão sentidas por ninguém.

Nossos presentes, este ano, não cabiam lá na árvore. Nossas conquistas não estavam ao alcance do cartão de crédito O bem estar que domina nosso espírito tinha preço incalculável, impossível de parcelar, o queremos sempre à vista.

Quando a noite chegar, vamos celebrar a consciência tranquila de quem buscou fazer o melhor, mesmo nas muitas vezes em que este não se realizou. Comemoraremos o equilíbrio sentimental buscado por um, o emprego merecido do outro, a força encontrada pelos que viam dificuldades, o ano saudável que se seguiu após a doença, os filhos que surpreenderam pelo carinho e amadurecimento, o resgate à vida de um ente que não era mais tão querido mas sempre foi amado – ser que descompassado faz uma caminhada que me leva a analogias com o renascimento de Jesus, personagem maior desta festa.

Vamos agradecer à Deus, não mais ao Papai Noel, por ter nos permitido preservar a nossa família e tê-la tornado mais rica de sentimentos. E por todas as demais que cresceram a nossa volta, seja com as trapalhadas típicas de quem está vivo seja com as gargalhadas que proporcionaram.

A árvore está vazia, sim. Nossa festa, porém, está completa. A mesa é farta de bons motivos. E os presentes atenderam todos os pedidos que fizemos neste ano, ao menos os que realmente importam para a vida.

São Paulo fica distante dos irmãos e do pai que permanecem no Sul – minha mãe morreu há muito anos, infelizmente. Claro que tenho saudade daqueles Natais em que subíamos o Morro a espera de presentes, mas sou muito feliz pelos que tenho recebido nestes anos todos. E por todos aqueles que os proporcionaram.

Feliz Natal !

17 comentários sobre “Os presentes de Natal

  1. Ficar feliz e agradecido pelo presente momento, independente das desilusões, mortes, corrupções, etc…

    Ter serenidade de separar o trigo do joio…

    Ter amor e esticar a mão ao necessário…

    Dar a vara de pescar e o anzol e a ensinar pescar…

    Dar condições digninas e um jogo justo para que tal possa pescar de igual para igual…

    Pois é, administração pública tbm tem que ser assim…

    Não é dar auxílio misérias…

    Mas sim ensinarmos desde pequenos que temos a obrigação de fiscalizar, opinar e fazer valer os direitos do cidadão, que não importa regime, crença ou sei lá o que,

    MAS SOMENTE OS CIDADÃOS

    A corrupção se não for o maior mal de uma Nação, com certeza é um dos maiores!!!

    Transparência na administração pública e tais informações no onibus, metros, trens, terminais e estações, isso éOBRIGAÇÃO DO ESTADO,é não importa o partido político!!!

    ass: Douglas The Flash

    M13x2dc1Dougl.M!#x220014424188ISex241210AspPjSl*BCM25fj504246

    eujafuiprejudicadoporservicospublicos.wordpress.com

  2. Oi Milton e todos da nossa Radio CBN.
    Mais um ano se passou.
    Muito realizamos.
    Muito discutimos
    Muito “brigamos”, muitas veses por coisas e assuntos sem a menor importância.
    Muito aprendemos
    Muito amamos
    Muitas veses demos gostosas gargalhadas
    Muitas veses ficamos tristes sem saber o porque e choramos por alguma razão.
    Muitas amizades fizemos, reais ou virtuais, mas muitas perdemos por não temos tido equilibrio e sensatez para mantê-las.
    No natal todos se harmonizam, se abraçam, perdoam-se uns aos outros, pedem perdão ao criador pelos erros e pelos pecados cometidos.
    Em 2011 vamos nos harmoniar,, perdoar e agradecer ao criador e a uns aos outros todos os dias, assim como acontece no natal.
    Obrigado Milton e a todos da Radio CBN por nos proporcionar sabedoria, informações, alegrias e amizades!
    FELIZ NATAL!
    Armando Italo
    Cliquem no link abaixo.
    http://blogdoaitalo.blogspot.com/2010/12/feliz-natal.html

    • Armando,

      Sua presença neste blog é motivo de satisfação sempre e reforça nossa ideia de sempre levar em consideração a causa do cidadão. Feliz Natal para sua família.

  3. O Natal Que Perdemos
    Foi-se o tempo em que o Natal tinha um significado mais sublime e nos servia de guia para uma reflexão profundamente espiritual. Na verdade o Natal não era só um dia, era um período em que se celebrava emotiva e devotadamente a vinda desse ser espiritual único em iluminação e saber, que veio nos trazer dos planos espirituais superiores novas diretrizes para guiarmos nossas vidas de forma a nos elevarmos espiritualmente desde a nossa vida terrestre.
    Passou o tempo também em que se contava para as crianças a história do menino Jesus, um ser nascido em uma pobre manjedoura, mas, que transcendendo a pobreza material transformou-se no mais vigoroso exemplo de abnegação e perseverança no cumprimento de sua missão iluminadora da humanidade. Hoje não reverenciamos mais o Natal como um tempo de transformação, por que deixamos cada vez mais que o mundano e ilusório nos furtasse nossa emotividade autêntica. Nem mesmo os afetos do Natal sobreviveram à frieza das comemorações, muitas vezes embaladas pela falta de sentido do que se festeja. A alegria do Natal tem sido só caricatura do que poderia ser, já que ela se apresenta nos presentes, nas bebidas, nas comidas, mas, longe, bem longe dos nossos corações e espíritos.
    O Cristo que nos ensinou que o amor, a tolerância, a humildade, a caridade e a benevolência deveriam plasmar nossas ações todos os dias e a qualquer tempo, há muito está esquecido. Assim como o “Pai” que o enviou para que nos guiasse no caminho para o “reino dos céus”. Em decorrência disso, falta cada vez mais paz entre nós; falta solidariedade, compartilhamento e amor.
    Então há que se perguntar: onde estarão os homens e as mulheres de boa vontade? Criaturas que tanto o Cristo exaltou em suas prédicas, onde estarão? Provavelmente em algum lugar do caminho nos perdemos, algum atalho infeliz nos afastou da verdade e da vida. Se assim foi, então amigos e irmãos de jornada, creio que precisamos urgentemente encontrar a nós mesmos e deixar que o brilho da estrela-guia nos aponte o caminho para, como pródigos filhos, regressarmos para casa…
    Boa Reflexão, um belo reencontro com o Natal e com você.
    Feliz Natal e um 2011 repleto de boas realizações, saúde e paz.

  4. O teu foi um dos melhores textos que li sobre o Natal. Não pense que este elogio é coisa de pai-coruja. Não estou te fazendo favor algum. Tem beleza e profundidade. Gostaria que todos o pudessem ler. Será que preciso dizer que me emocionou? Aliás,como muitos textos teus versando acerca dos mais diversos assuntos.

Deixe uma resposta para Douglas The Flash Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s