Parque do Caxingui sucumbe a prefeitos e justiça: só resta o cidadão!

 

 

Por Carlos Magno Gibrail

 

 

image002

Área onde deveria ser o parque linear

 

 

Uma área de 36 mil metros quadrados no bairro do Butantã, zona oeste de São Paulo, contendo bioma de Mata Atlântica e nascentes da Bacia Hidrográfica do Caxingui, está liberada para a construção de cinco edifícios residenciais de 25 andares.

 

 

A autorização foi dada pela juíza Maria Fernanda de Toledo Rodovalho, da 16ª Vara da Fazenda Pública. Para o desgosto dos moradores que defenderam a criação do Parque Linear do Caxingui com o intuito de preservar um pouco de mata verde dentro da cidade. E regozijo da Cury Construtora, braço da Cyrela. Parceira da atual administração municipal.

 

 

Essas terras foram classificadas como ZEPAM – Zona Especial de Proteção Ambiental, através do Zoneamento de 2016 conjuntamente com a criação do projeto Parque Linear do Caxingui. Entretanto, no fim daquele ano, no último dia de sua gestão, Fernando Haddad, conflitando com laudo da Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente, deferiu solicitação da Cury Construtora para edificação de cinco torres de 25 andares. Como proprietária de parte desta área e tendo doado à Prefeitura outro tanto, argumentava que o empreendimento não afetaria o verde existente.

 

 

image001

Como ficaria com os prédios construídos 

 

 

A administração Doria manteve a aprovação, gerando uma série de investigações sobre irregularidades em todo esse processo. Levadas ao Ministério Público, através do promotor Marcos Stefani, o empreendimento é objeto de ação civil pública movida pela Promotoria do Meio Ambiente contra a Prefeitura. Não houve liminar ainda porque a construtora garantiu à juíza Rodovalho que não iniciaria a obra até que houvesse decisão sobre o pedido apresentado pelo Ministério Público.

 

 

Surpreendentemente, a Juíza Rodovalho, sustentando que não há irregularidades aparentes no processo de aprovação do alvará que justifique o seu impedimento, liberou o início da construção. Ou, por enquanto, da destruição.

 

 

As máquinas já começaram a derrubar as árvores.

 

 

Fato que levou as entidades de moradores e ambientalistas, através do Movimento Parque Linear Caxingui a realizar hoje um ATO CONTRA A DESTRUIÇÃO DA MATA DO PARQUE DO CAXINGUI.

 

 

A jornalista Ana Aragão, uma das lideranças deste Movimento, juntamente com Lucila Knesse, e as entidades Associação Morumbi Melhor, Sociedade Moradores Butantã-Cidade Universitária e Sociedade dos Moradores do Butantã City, já perceberam que nesta tramitação, onde o interesse privado oprime o público, é preciso de mobilização para atrair cidadãos conscientes que contribuam para a defesa do progresso sem retrocesso.

 

 

Em resposta

 

(publicado em 15/10, 11h03)

 

Diante da mobilização de cidadãos que discordam da forma como o Parque do Caxingui está sendo ocupado – parte deles expôs aqui neste blog sua opinião -, o prefeito regional do Butantã Paulo Vitor Sapienza procurou lideranças do movimento. Em mensagem enviada a Wilson Donnini, diretor do Grupo 1 de jornais, inclusive do JORNAL DO BUTANTÃ, disse que está à disposição para uma reunião com objetivo de resolver esta questão. O pedido para que o encontro se realizasse foi feito pelo próprio prefeito João Doria. Aproveito para externar minha admiração a todos que se manifestaram neste blog demonstrando um espírito de cidadania exemplar.

 

Carlos Magno Gibrail é mestre em Administração, Organização e Recursos Humanos. Escreve no Blog do Mílton Jung, às quartas-feiras. 

76 comentários sobre “Parque do Caxingui sucumbe a prefeitos e justiça: só resta o cidadão!

  1. Um absurdo nosso Prefeito não defender a Natureza e tampoco a população. Está escolhendo dar mais lucro à empresas que aprovaram (com suspeita grave de irregularidade!!!) a construção de 5 torres de 25 andares dentro de uma mata maravilhosa, com várias nascentes limpas e animais que dependem desta mata. Não é possível que o interesse financeiro privado vá prevalecer ao interesse público!!

    @jdoriajr
    #salveoparquelinearcaxingui
    #doriamotoserra
    @parquelinearcaxingui
    #zepamsempredio
    #motoserradestruindozepamemsp
    #motoserradestruindoparquecaxingui
    #doriadecepção

  2. São Paulo é carente de parques e áreas verdes, não podemos deixar que o interêsse imobiliário destrua o pouco que restou. O Parque do Caxingui é uma preciosidade que não só deve ser preservada mas também cuidada e melhorada para o desfrute da população. Sr. prefeito, parques e áreas verdes são muito necessárias para melhoria da qualidade de vida na nossa cidade. Veja nas proximidades o Parque do povo, o Parque Burle Marx , são muito usados e apreciados. Dória, cuide da nossa cidade e a faça linda.

  3. Temos que lutar para preservar o que restou da Mata Atlântica. Temos que lutar para que o país não seja destruído pelo poder do capitalismo sem limites, onde o que impera é o jeitinho com leis aprovadas na calada da noite a fim de beneficiar doadores de campanha.

    #salveoparquelinearcaxingui
    #doriamotoserra
    @parquelinearcaxingui
    #zepamsempredio
    #motoserradestruindozepamemsp
    #motoserradestruindoparquecaxingui
    #doriadecepção
    #sosmataatlantica
    #bolsonaropresidente

  4. Trago boas notícias.
    O Wilson Donnini, diretor do Grupo 1 de jornais, inclusive do JORNAL DO BUTANTÃ, nos enviou agora uma comunicação do Prefeito Regional do Butantã, Paulo Vitor Sapienza, que está à disposição para uma reunião com objetivo de resolver esta questão .
    Esta manifestação do Prefeito Regional foi gerada por um pedido pessoal de João Doria.
    Sendo assim, entrarei em contato com a jornalista Ana Aragão para coordenar este procedimento.
    Aproveito para externar minha admiração a todos que se manifestaram neste blog demonstrando um espírito de cidadania exemplar.

  5. O jornalista Wilson Donnini nos encaminhou copia do AGRAVO DE INSTRUMENTO interposto pela 1a Promotoria de Justiça do Meio Ambiente da Capital no dia 11/10/17 através da Promotora Teresa de Almeida Prado Franceschi inconformada com o inicio das obras no Parque do Caxingui.
    É um reforço e tanto para a pretensão da manutenção do Parque.

  6. Um processo de licenciamento ambiental repleto de irregularidades, que está sendo questionado pelo Ministério Público, onde nascentes de água com existência comprovada foram simplesmente ignoradas tendo uma delas sido concretada na calada da noite .
    Árvores sendo arrancadas pela raiz arrastadas por tratores e correntes . Mata nativa sendo dizimada junto com pássaros, ninhos e tudo mais o que lá vivia .

    O Movimento Parque Linear Caxingui convoca os moradores da região do Butantã para o segundo *ATO de PROTESTO CONTRA A DECISÃO da Juíza Maria Fernanda de Toledo Rodovalho*,da 16° Vara da Fazenda Pública , que “autorizou” a derrubada de área de preservação ambiental- ZEPAM – para construção de gigantescos prédios de empreendimento imobiliário.

    A manifestação será nesta segunda-feira, 16/10/2017, às 07:30 hs, com concentração na altura do número 400 da Av Roberto Lorenz, de onde sairemos em passeata até a obra, na Francisco Morato, 1739

  7. Lamentável. Será que nossos gestores públicos não percebem o mal que a eliminação de parques e nascentes trarão para nós mesmos, nos anos futuros? Abram os olhos, e façam a diferença!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s